Copa do Mundo: para torcer e comer – Parte 1

É Copa do Mundo! Por 30 dias a gente vira cidadão do mundo, torcendo cada dia para um país diferente, assimilando as milhões de culturas misturadas que esse eventão proporciona.

Em termos gastronômicos, aqui em São Paulo a gente nem precisa esperar chegar a Copa para provar os sabores do mundo: a oferta é incrível o tempo inteiro. Mesmo assim, achamos que essa era uma ótima desculpa para fazer um tour e visitar (e recomendar!) restaurantes que a gente gosta, homenageando algumas das seleções mais cheias de delícias do mundo.

Escolhemos 8 países e vamos recomendar 3 lugares com comida típica de cada um. Essa é só a primeira edição!

ARÁBIA SAUDITA

Ok, aqui a gente sabe que estamos forçando BEM a barra: a grande maioria dos restaurantes árabes de São Paulo não é da Arábia Saudita, e às vezes mistura pratos de vários países árabes em um lugar só. Mas não tem jeito, a comida árabe não podia ficar de fora da nossa lista!

Sainte Marie Gastronomia

26158991_334429663701921_4153446302530666496_n
Foto: @tavapassando

Um dos nossos restaurantes preferidos de São Paulo, o templo do kibe montado, premiado em vários lugares, com o chef mais fofo da cidade (que na verdade é libanês). Quem vai se apaixona e vive voltando, mesmo ele ficando totalmente fora da região central.
Sainte Marie Gastronomia. Segunda sexta 12h às 17h30, sábado, 11h às 17h30.
Rua Dom João Batista Costa, 70, Jardim Taboão

Aboud Shawarma

Foto: @s6xtoandar
Foto: @s6xtoandar

Aboud, que é sírio, veio pra cá com seu irmão e abriu uma modesta casa de kebab/shawarma no Largo do Paissandu, dessas com a carne rodando e pingando gostosura. A gente adora shawarma, já provamos dezenas pela cidade e podemos dizer com todas as letras: o Aboud é o mais gostoso de todos!
Aboud Shawarma. Segunda a sábado das 9h às 20h.
Largo do Paissandu, 55, Centro

Esfiharia Effendi

Foto: divulgação
Foto: divulgação

O restaurante armênio entra em todas as votações de “melhor esfiha da cidade”, e não é à toa: ele está desde 1973 alimentando os visitantes da Luz/Bom Retiro com esfihas gigantes, fininhas, assadas na hora e deliciosas. Nossa dica: a de queijo com basturma!
Esfiharia Effendi. Terça a sexta das 8h às 16h, sábado das 8h às 15h30, domingo das 9h às 14h30.
Rua Dom Antônio de Melo, 77, Luz

ALEMANHA

O que parecia nosso arqui-inimigo nessa Copa (mas já foi eliminado!) tem vários representantes gostosos pela cidade, desde os mais tradicionais a novos bares e lanchonetes que estão revivendo a paixão por schnitzels e wursts.

Kraut

Foto: @krautbar
Foto: @krautbar

Moderninho e gostoso, o bar foi um dos que abriu nessa nova onda de lugares da Santa Cecília e a gente adora, tanto para comer quanto para beber. Além dos drinks deliciosos e chopes, você pode provar sanduíches de schnitzel, currywurst, salada de batata, frikadellen e hot dogs!
Kraut Bar. Terça a sexta 12h às 15h e 18h à 0h (sexta até 1h), sábado das 12h à 1h e domingo das 12h às 17h.
Rua Barão de Tatuí, 405, Vila Buarque

Schnaps Haus

Foto: Chefs Club
Foto: Chefs Club

O restaurante está ali em Pinheiros há 34 anos, mas muita gente não conhece. Aqui a coisa é tradicional, e pode ir sem medo. Dos petiscos como bratwurst, kassler (bisteca de porco), hackepeter (canapé de carne crua) e rollmops (filé de sardinha com picles) ao carro chefe da casa paprika schnitzel (filé suíno ao molho páprica com nhoques gigantes), tudo é delicioso!
Schnaps Haus. Segunda a sexta das 12h às 15h e 18h às 23h, sábado das 12h às 23h e domingo das 11h às 17h.
Rua Diogo Moreira, 119, Pinheiros

Imbiss

Foto: divulgação
Foto: divulgação

O Imbiss é parecido com o Kraut no estilo “alemão moderninho”, mas é muito mais uma lanchonete do que um bar. Começou lá em cima da Vila Madalena e depois foi pra um lugar maior na Rua dos Pinheiros, e vive cheio. Não é à toa: tem chopp, comida muito boa e preços legais. Dica: o cachorro-quente com salsicha bratwurst, mostarda escura e chucrute, no pão de massa de pretzel!
Imbiss Berlin Street Food. Todos os dias das 12 às 23h, sexta e sábado até 1 da manhã.
Rua dos Pinheiros, 327, Pinheiros

PERU

A essa altura, o Peru já está desclassificado da Copa. Mas em homenagem a ele, que tal um ceviche?

Rinconcito Peruano

Foto: divulgação
Foto: divulgação

Eles se auto-intitulam “O cantinho peruano no coração de São Paulo” e são mesmo. Talvez os maiores responsáveis pela divulgação da culinária peruana na cidade, com seus pratos gostosos, porções exageradas e preço bom, hoje o Rinconcito está em nada menos que seis endereços da cidade – e por isso não poderia ficar de fora. Vida longa ao Rinconcito!
Rinconcito Peruano. Segunda das 12h às 17h, terça a sexta das 12h às 22h, sábado das 12h às 22h e domingo das 12h às 21h.
Rua Aurora, 451, Santa Ifigênia (e + 6 endereços)

La Peruana

polvo-food
Foto: divulgação

Trazendo o sabor tradicional peruano para um patamar um pouco mais sofisticado, o La Peruana começou como food truck e virou um cantinho agradável nos Jardins. Entre os destaques, além dos ceviches, tem vários pratos quentes como arroz com frutos do mar e pulpo parrillerro.
La Peruana. Terça a sexta das 12h às 15h e das 19h às 23h, sábados e domingos das 12h às 23h.
Alameda Campinas, 1357 – Jardim Paulista

Kontiki

Foto: @sp24hrs
Foto: @sp24hrs

O Kontiki é outra opção peruana nos Jardins, que abriu há pouco tempo e fica no meio do caminho: faz muito bem os pratos tradicionais e também tem opções mais diferentes. Mas tudo sempre muito bem feito. Esse da foto é o clássico lomo saltado a lo pobre, delicioso!
Kontiki Restaurante.
Alameda Campinas, 1060, Jardim Paulista

CORÉIA DO SUL

Sem muita tradição no futebol mas muita tradição nas comidas!

New Shin-la Kwan

32747505_142709466594291_338254749306454016_n
Foto: divulgação

No bairro mais coreano da cidade, o Bom Retiro, o New Shin-la Kwan não é lá muito charmoso, mas é daqueles bem true: churrasco coreano como manda a tradição, cheio de mini porções deliciosas com sabores intensos, e uma grelha gigante na mesa para você mesmo assar. Não é dos mais baratos, mas vale muito a pena!
New Shin-la Kwan. Segunda a segunda, das 11:30 às 21h.
Rua Prates, 343, Bom Retiro

BiCol

Foto: divulgação
Foto: divulgação

O BiCol também é especializado no clássico churrasco coreano, mas aqui em uma versão mais familiar, com mesonas e espaço grande na Aclimação. Também é super tradicional na cidade, e além do churrasco o cardápio tem delícias como a panqueca gigante à moda da Coreia, com frutos do mar e muita cebolinha.
BiCol. Segunda a sexta das 12h às 14:30 e das 17:30 às 21:30 (terça só para jantar), sábados e domingos das 11:30 às 15h e 17:30 às 21:30.
Praça General Polidoro, 111, Aclimação

Crack Chicken

Foto: divulgação
Foto: divulgação

Escondidinho na Barra Funda, uma opção bem diferente e gostosa: o Crack Chicken é uma lanchonete bem simpática especializada em frango frito coreano! O frango é bem sequinho e crocante e pode vir com vários molhos deliciosos (como barbecue, alho e shoyu & mel), em combos de tamanhos diferentes e acompanhado ou não de batata com tempero cajun. Além disso, tem algumas opções de pratos e saladas.
Crack Chicken. Segunda a sexta das 11:30 às 14:30 pro almoço, e no jantar de segunda a quinta das 18h às 22:30, sexta das 18h às 0h e sábado das 19h às 0h.
Rua Brigadeiro Galvão, 604, Barra Funda

MENÇÃO HONROSA: NIGÉRIA

Biyou’Z

Foto: divulgação
Foto: divulgação

O Biyou’Z é o mais conhecido restaurante africano da cidade, e na verdade um dos poucos existentes. Ele oferece principalmente comida camaronesa, mas também tem pratos que misturam várias tradições africanas, inclusive nigerianas. São sabores bem diferentes do que estamos acostumados, misturando ingredientes como amendoim, banana da terra, camarões e peixes para criar pratos bem intensos, e tem várias opções vegetarianas.
Biyou’Z Restaurante Afro. Todos os dias das 12h às 22h.
Alameda Barão de Limeira, 19, Campos Elíseos

Daqui a pouco tem a parte 2!

 

Tava Passando

Tavapassando e cliquei. Danilo Cabral e Flavia Lacerda registram seu dia a dia e todos os lugares por onde estão passando, em um mini-guia de shows, restaurantes, ruas e pixos no Instagram.

3 thoughts on “Copa do Mundo: para torcer e comer – Parte 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *