Bar Secreto se despede de São Paulo durante o mês de outubro

Lembro-me quando ouvi falar sobre o Bar Secreto pela primeira vez. Ele chegou envolto de mistérios e soou restrito aos fashionistas mais badalados da cidade. Junto com a curiosidade veio um leve ciúmes, porque eu queria sim estar lá, mas não estava. Era 2007, época em que eu ainda produzia e promovia festas nos saudosos Clube Glória e Vegas e o meu corpinho estava sempre rodeando as boas pistas paulistanas.

Não lembro, porém, quando pisei pela primeira vez no Secreto, mas não demorou muito desde sua abertura. Talvez eu tenha sido convidada pela dupla Laima Leyton e Iggor Cavalera, do Mixhell, com quem eu produzia a festa Rock and All na época. O Bar Secreto passou então a ser um lugar que eu frequentei religiosamente por um bom tempo.

Eu e o Ola numa festa de aniversário que fiz no Bar Secreto.
Eu e o Ola numa festa de aniversário que fiz no Bar Secreto.
Eu discotecando com o Ola no Bar Secreto.
Eu discotecando com o Ola no Bar Secreto.
Ganhando flores na pista escura do Bar Secreto.
Ganhando flores na pista escura do Bar Secreto.

A casa pequena, aconchegante com sua pista escura sempre tinha ótimos Djs e produtores musicais atrás de suas pickups. Por lá eu tive momentos memoráveis, conheci muita gente bacana, ganhei amigos, revi outros, causei, fiz festa e também toquei algumas vezes. Foi também a primeira balada em que jantávamos nela. A casa abria às 22h e às 22h30 estávamos todos lá devorando um suculento hambúrguer, provavelmente um dos melhores da cidade na época, enquanto a pista abria.

Diplo numa de suas passagens pelo Bar Secreto.
Diplo numa de suas passagens pelo Bar Secreto.

A cada passada de bandas internacionais ou festival de música em São Paulo, vinha junto a expectativa de qual artista esticaria por lá após suas apresentações, dando uma canja inesperada para poucas pessoas. Saíamos dos shows atrás de rumores para depois de algumas horas estar plantado na fila numa ansiedade sem fim. Foi assim que vimos ao vivo Justice, Diplo, Hot Chip, Arcade Fire, Madonna, Soulwax, Bono, Skrillex, Franz Ferdinand, Ladytron, como provavelmente não veríamos facilmente em outra ocasião. Foi lá que presenciamos até uma festa de casamento, da Laima e do Iggor, cheio de convidados ilustres.

O Bar Secreto deu espaço e botou muita gente pra brilhar. Foi generoso e democrático com seu público tão diversificado. Do mais moderninho ao mais playboy, do mais fashionista ao mais largado, era tudo junto e misturado.

A pista e o famoso pole dance no meio dela. Foto: divulgação
A pista e o famoso pole dance no meio dela. Foto: divulgação

O anúncio do fechamento do Bar Secreto no fim deste mês vem acompanhado de uma nostalgia infinita de momentos que jamais vão voltar. Dá uma tristeza porque é o último da lista dos clubes que mais frequentei e gostei em São Paulo. Sobram as tantas lembranças boas e divertidas. Ficamos na expectativa pelas novidades que vêm aí conforme conversei com a Karina Motta, uma das sócias da casa.

Sany Pitbull no Bar Secreto.
Sany Pitbull no Bar Secreto.

Para a despedida, o Bar Secreto preparou uma intensa programação ao longo do mês de outubro a partir desta quinta-feira, dia 5 de outubro, com algumas de suas tradicionais festas. No dia 27 de outubro tem a 100ª e última edição da festa com o Sany Pitbull, um dos poucos lugares em que é (era) possível dançar às suas batidas num long set madrugada adentro.

22207315_10154794528966712_1236256433_n

Nos vemos por lá? Programação completa aqui.

Obrigada Karina Motta, Sebastian Orth e Rafael Pelosini por todos os momentos incríveis que vivi numa das pistas mais legais que São Paulo já teve. Que venham novos projetos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *