Onde os chefs comem – Parte 2

Em fevereiro, nós conversamos com 5 chefs de São Paulo para descobrir onde eles gostam de comer nas horas vagas. As respostas foram tão legais, cheias de segredos e lugares com memória afetiva, que resolvemos repetir! Dessa vez conversamos com os chefs da Pizza da Mooca, Conceição Discos, Lilu, Arroz de Festa e Clandestino. Quer saber onde os chefs comem?

Fellipe Zanutto (Hospedaria e A Pizza da Mooca)

fellipe-zanuto
Foto: Divulgação

Porque sim

Restaurante japonês clássico. Aberto todos os dias da semana, exceto quarta-feira. Eu adoro o curry deles. O karaguê e lamen também são muito bons e os sashimis são super frescos. Eles possuem um cardápio bastante variado. O japonês que cozinha está sempre lá. Sempre que fico na dúvida de onde ir, acabo indo lá, porque é muito comfort para mim. Conheço os garçons e a equipe, me sinto bem lá.

Porque Sim. Rua Thomaz Gonzaga, 75, Liberdade
De segunda a domingo, das 11h30 às 15h e das 18h às 22h. Fecha às quartas

Mansour Lanches

Lugar onde eu mais comi nos últimos quatro anos, pois foi quando eu mudei da Aclimação. Eu saía tarde da pizzaria e ia pra lá. Me apaixonei pelo cheeseburguer deles, é o meu preferido da cidade. Nada gourmet. Pão, carne e queijo. Simples. E ele tem um sabor “pós-trabalho” que tornou-se uma memória afetiva. É um negócio de família, eles são bastante atenciosos e eu me sinto em casa quando vou lá.

Mansour Lanches. Avenida Lins de Vasconcelos, 1333 e Avenida Aclimação, 850, Cambuci
De segunda a domingo das 11h às 2h. 

Boi na Brasa

É um restaurante coringa para mim. Sempre que fico na dúvida, vou lá. Comida comfort também, mas quando estou com vontade de comer carne. Adoro o T-bone deles, servido com uma farofinha de ovo, salada de agrião. O arroz carreteiro deles também é muito bom. Não é um lugar hypado. Lá é o ponto do churrasqueiro, não o que o cliente quer. Bem clássico!

Boi Na BrasaRua Marquês de Itu, 188, Vila Buarque
De segunda a domingo das 11h às 4h. 

Talitha Barros (Conceição Discos)

thalita
Foto: Toshi Akuta

Tasca da Esquina

No restaurante do chef português Vítor Sobral e comandado por Luís Espadana é tudo uma delícia: desde a entrada de língua de boi ao bacalhau ao forno – posta alta de um peixe suculento, impecável.

Tasca da Esquina. Alameda Itu, 225, Jardins
Terça a sexta das 12h às 15h e das 19h até o último cliente, sábado das 12h às 16h e das 19h até o último cliente e domingo das 12h até o último cliente

Box 62

A cozinheira Mara Rasmussen acolhe a fome dos que gostam de comida saborosa e feita no mó carinho, ali atrás de seu balcão. Ali tem coxinha, chá gelado, arroz e feijão, farofa deliciosa e uma rede preguiçosa pra deitar.

Box 62. Rua Jaceguai, 557, Bela Vista
Segunda a sábado das 9h às 18:30

Bar do Luiz Fernandes

Bar de verdade, comandado por uma família inteira. Eduzinho, filho dos fundadores, é o melhor host da cidade: sempre com sorriso no rosto para te receber e de uma memória infalível – sabe o nome e as manias de seus clientes. Dona Idalina, sua mãe, faz salgados e frituras com esmero único.

Bar do Luiz Fernandes. R. Augusto Tolle, 564, Mandaqui
Terça à sexta das 16h às 0h, sábado das 11h às 21h e domingo das 11h às 18h

Pinati Israeli Soul

A lanchonete kosher faz um sanduíche de schnitzel de frango simplesmente delicioso. Ali tudo é muito fresco e bem feito. As batatas fritas são uma tentação. Comércio de família, comandado com tradição e carinho. E abre domingo à noite, o que é sempre bom pra quem leva a vida de chef.

Pinati Israeli Soul. Alameda Barros, 782, Higienópolis
Domingo a sexta das 12h até o último cliente

André Mifano (Lilu)

andre-mifano
Foto: Gabriel Cabral/Folhapress

Chá Yê e Komah

Sou muito fã da culinária asiática e trago muitos dos ingredientes dela pra minha vida, tanto em casa quanto no restaurante. Por isso meus restaurantes preferidos giram em torno desse tema. O primeiro deles é o Chá Yê, chinês contemporâneo que faz um trabalho artesanal com massas, e o outro é o Komah, coreano sensacional.

Chá Yê. Rua Fradique Coutinho, 344, Pinheiros
Terça das 12h às 15h, quarta e quinta das 12h às 23h, sexta e sábado das 12h às 23h30 e domingo das 13h às 20h
Komah. Rua Cônego Vicente Miguel Marino, 378, Barra Funda
De segunda a sábado das 18h30 às 23h30

Alexandre Cymes (Arroz de Festa)

alexandre-cymes-1
Foto: Divulgação

Hirá, Tanuki e Porque Sim

Eu já fiz um curso de culinária no Japão, onde criei uma afeição especial pela culinária japonesa. Quando não estou trabalhando, gosto de ir ao Hirá e Tanuki, na Vila Madalena, e no Porque Sim, na Liberdade.

Hirá Ramen Izakaya. Rua Fradique Coutinho, 1240, Pinheiros
De segunda a sexta das 12h às 15h e das 19h às 23h30, sábado das 12h30 à 0h e domingo 12h30 às 16h e das 19h às 23h
Tanuki. Rua Jericó, 287, Pinheiros
De segunda a sexta das 12h às 14h45 e das 18h30 às 22h45, sábado das 13h às 15h45 e das 19h às 23h30 e domingo das 12h às 15h45
Porque Sim. Rua Thomaz Gonzaga, 75, Liberdade
De segunda a domingo, das 11h30 às 15h e das 18h às 22h. Fecha às quartas

Bel Coelho (Clandestino)

bel-coelho-clandestino
Foto: Divulgação

Tordesilhas, Aska e Monte Líbano

Gosto de vários. Poderia citar o Tordesilhas. Mara Salles faz deste restaurante o melhor brasileiro de São Paulo, na minha opinião; o Aska, lámen da Liberdade, sempre lotado, que oferece o melhor custo-benefício na cidade; e o Monte Líbano, restaurante árabe de almoço tradicionalíssimo, localizado na região da 25 de março.

Tordesilhas. Alameda Tietê, 489, Cerqueira César
De terça a sexta das 18h à 1h, sábado das 12h às 17h e das 19h à 1h e domingo das 12h às 17h
Aska. Rua Galvão Bueno, 466, Liberdade
De terça a domingo das 11h às 14h e das 18h às 23h
Monte Líbano. Rua Cavalheiro Basílio Jafet, 38, Centro

De segunda a sexta das 11h às 15h

Foto de capa: Shutterstock

Tava Passando

Tavapassando e cliquei. Danilo Cabral e Flavia Lacerda registram seu dia a dia e todos os lugares por onde estão passando, em um mini-guia de shows, restaurantes, ruas e pixos no Instagram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *