Treze motivos para dar um rolê pela Treze de Maio

A Treze de Maio é umas das principais ruas do Bixiga, o famoso bairro italiano de São Paulo. Ela nasce no coração do bairro, na Rua Santo Antônio, e vai até o comecinho da Avenida Paulista, ali onde fica o Shopping Paulista. Por ser uma rua de bastante movimento e fundamental na ligação do Bixiga com outros bairros ao redor, é natural que a quantidade de estabelecimentos e comércios da região seja grande e variado. É nela que se concentram as lendárias cantinas italianas, as deliciosas padarias e rotisserias e a belíssima paróquia de Nossa Senhora da Achiropita, fundada em 1926 e que todo ano, em meados de Agosto, toma conta da rua com a festa que leva o mesmo nome de sua padroeira.

Dar um passeio pela Treze é um prazer para todos os sentidos. Os cheiros vindos dos pães quentes, do café que acabou de sair ou do molho de tomate sendo preparado logo cedo e servido para apetites vorazes na hora do almoço, as paredes pixadas e grafitadas com frases de adoração ao bairro, as antigas casinhas que datam do começo do século passado, tudo é fascinante no Bixiga. Sem contar os sons, vindos tanto da quadra da Vai-Vai quanto das festas bacanas que rolam no Yacht, dos shows na Praça Dom Orione, passando pelos ensaios do Bixiga 70. Então prepare o fôlego pra subir a ladeira e vá parando em cada um dos lugares que listamos, todos eles com pelo menos um bom motivo para fazer uma visitinha!

Ludus Luderia

ludus
Foto: Ludus Luderia

O acervo de jogos da Ludus tem mais de 900 títulos, das mais variadas modalidades: dos clássicos aos modernos, dos simples aos sofisticados, dos antigos aos que acabaram de ser lançados. Para acompanhar a jogatina, a casa tem boa seleção de cervejas, drinks e aperitivos, o que a torna uma opção ainda melhor para encontros em grupo, seja com a galera ou depois do trampo. Mas se for rolar uma “partidinha” de War, é bom chegar cedo para terminar antes do bar fechar.

Ludus Luderia. Rua Treze de Maio, 972
Quarta e quinta das 18h às 0h, sexta e sábado das 18h às 3h e domingo das 16h às 0h

Feira do Bixiga

feira
Foto: Casa e Jardim

Ela já foi bem mais acessível em termos de preços e variada em termos de expositores, mas a Feira de Antiguidades do Bixiga ainda vale muito o passeio. As palavras de ordem aqui são garimpo e pechincha, vale fuçar nas caixas, pedir desconto e fazer bons negócios para os dois lados. A grande diferença em relação à outra feira famosa, a da Benedito Calixto, é que no Bixiga ela se estende pelas ruas laterais e pela Rua Rui Barbosa, barateando os preços (mas às vezes caindo a qualidade, diga-se).

Feira do Bixiga. Praça Dom Orione, altura do número 850 da Treze de Maio
Domingo, das 8h às 17h30 

Escadaria do Jazz

escadaria
Foto: Portal do Bixiga

Já falamos sobre a Escadaria do Jazz neste post aqui e obviamente ela não poderia ficar de fora desta lista. Depois do hiato de fim de ano, o projeto volta a rolar agora em março, com um evento dedicado às mulheres. Esperamos que a Escadaria do Jazz dure por muito tempo, levando música de qualidade para o Bixiga e, melhor ainda, de graça!

Escadaria do Jazz
Evento mensal, acompanhe a programação na página do Facebook

Moscatel

moscatel
Foto: @tavapassando

Doces, doces, doces e mais doces, é um paraíso para quem não pode ver açúcar pela frente. A Moscatel é uma doceria com cardápio enorme dos mais diversos tipos de bolos, tortas, cookies, pudins, doces clássicos e cannolis (que são ok mas perdem para concorrentes vizinhos, como veremos mais adiante). Eles também servem pratos dignos no almoço, mas sem dúvida alguma o lance aqui é se lambuzar de verdade com tantas opções de confeitos.

Moscatel Doceria e Bar de Açúcar. Rua Treze de Maio, 655
De segunda a sexta das 10h às 18h e aos sábados e domingos das 9h às 19h

Jamile

jamile
Foto: Divulgação

Um bicho estranho no meio de tantas cantinas tradicionais italianas, o Jamile é um restaurante jovem para um público jovem. Com clima descoladinho, parede de tijolos e a possibilidade de comer no balcão, olhando para a seção da cozinha que finaliza os pratos, o lugar tem cardápio que une ingredientes sofisticados à típica comida que a nonna fazia, talvez para não sair muito do clima do Bixiga. Os pratos são assinados pelo chef-tatuado-apresentador Henrique Fogaça e a cozinha é comandada pela sua discípula do Sal, Roberta Diacoli.

Jamile. Rua Treze de Maio, 647
No almoço, de segunda a sexta das 12h às 15h, sábado das 13h às 16h e domingo das 13h às 17h
No jantar, segunda das 20h às 23h45, terça a quinta das 20h às 0h, sexta das 20h às 01h e sábado das 20h às 01h.

Mexilhão

mexilhao
Foto: Divulgação

Claro que o assunto aqui são frutos do mar. Camarões, lulas, lagostas, polvos e peixes em receitas clássicas como Thermidor, na moranga, gratinados ou até no vatapá, tudo muito farto e saboroso. O preço dos pratos acompanha seu vigor, não é um restaurante para ir todo dia, mas vale muito conhecer ou voltar em datas especiais. Vai dizer que essa lagosta aí da foto não te deixou com água na boca?

Mexilhão. Rua Treze de Maio, 626
De segunda a quinta das 12h às 23h30, sexta e sábado das 12h às 0h30 e domingo das 12h às 23h

Sabelucha

sabelucha
Foto: @tavapassando

O Seu Bruno e a Dona Maria, que tocam o fascinante Sabelucha, têm o 13 como número da sorte. Além do nome da rua onde o café funciona, as paredes são decoradas com fotos de políticos, reportagens e palavras de ordem, tudo estrelado e em vermelho. Vale muito tomar um café e puxar assunto com os dois, ambos apaixonados pelo bairro, pelo café e pela política. Os salgados e doces são honestos, acompanham o café numa boa, mas o que vale aqui é o bom e velho bate papo.

Sabelucha. Rua Treze de Maio, 580
De segunda a quinta das 10h às 21h30, sextas e sábados das 10h às 0h30

Basilicata

basilicata
Foto: @tavapassando

Minha nossa, o pão da Basilicata! Do tipo italiano, com receita passada por gerações, e que ainda é feito do jeito mais puro possível. O resultado é um pão encorpado e com sabor suave – melhor ainda se você der sorte de pegar um mais torradinho e com leve amargor. E pode comparar, comprar o italiano da Basilicata in loco é bem melhor que os seus irmãos exportados para os grandes supermercados. Para completar a excelência da padaria, ainda tem o melhor cannoli da região (o de baunilha, um primor) e um pastel de Santa Clara para comer de joelhos.

Basilicata. Rua Treze de Maio, 614
De segunda a sábado das 7h às 20h e domingo das 7h às 14h

Central Panelaço

panelaco
Foto: @tavapassando

A Central Panelaço entrou na lista por uma licença poética, pois não está propriamente na Treze de Maio. Mas como sua entrada fica bem na esquina com a Conselheiro Carrão e ele é tão bacana, achamos que valia estar aqui. A loja do João Gordo parece ser uma edícula de sua casa. Com decoração calcada no punk, hardcore e metal, tem de tudo um pouco: vinil, camisetas, zines, tênis, bonés, temperos e peças de decoração. Pode-se inclusive bater um lanche vegano lá mesmo, acompanhado de uma cerveja do Ratos de Porão. A curadoria do Gordo e de sua esposa Vivi é certeira e um prato cheio para quem pira nesses estilos musicais e de vida.

Central Panelaço. Rua Conselheiro Carrão, 451 1 Andar
De segunda a sexta, das 13h às 20h e sábado das 11h às 20h

Padaria Camões

camoes
Foto: Daniel Cerqueira

Tomar um café com leite e comer um pão na chapa, bater um PF rapidão ou comer uma coxinha no meio da tarde, pra isso tudo a Padaria Camões é perfeita. Sem luxo nem glamour nem fama, a Camões serve bem ao seu propósito, ganhando algumas estrelas pelos gostosos doces e bolos, principalmente aqueles que estão na bancada em frente ao caixa e que podem ser levados para casa aos pedaços. Só não espere um grande atendimento.

Padaria Camões. Rua Treze de Maio, 518
De segunda a domingo das 6h às 0h

Cantina Roperto

roperto
Foto: Divulgação

Comida italiana genuína e feita com maestria, preparada de forma artesanal lá mesmo, na cozinha do restaurante. A Roperto está no Bixiga desde 1942 e não duvidamos nada que as receitas não mudaram nem uma pitada de sal desde então. E nem precisa, já que são todas deliciosas e bem servidas, como a suculenta perna de carneiro, acompanhada de batatas, tomates e brócolis no alho. Outro prato campeão é o fusilli com generosas porpetas, para encher a pança com vontade.

Cantina Roperto. Rua Treze de Maio, 634
De segunda a quinta das 11h30 às 0h, sexta e sábado das 11h30 às 1h e domingo das 11h30 às 23h30

Pizzaria Speranza

speranza
Foto: Divulgação

Dizem ser uma das melhores pizzas de São Paulo e nós partilhamos da opinião. Sua massa fina e de borda gorda, os recheios com ingredientes de primeira e o cozimento no tempo certo garantem sempre uma pizza beirando a perfeição. Nossa preferida é a Margherita Specialle, com mussarela de búfala e o azedinho típico deste tipo de queijo, receita trazida ao Brasil pelos fundadores da Speranza e levada tão a sério que não pode ser dividida com nenhum outro sabor. Isso sim é tradição!

Pizzaria Speranza. Rua Treze de Maio, 1004
De segunda a sábado das 18h às 1h e domingo das 18h às 1h

Achiropita

achiropita
Foto: Dubixiga

A história da paróquia e da festa de Nossa Senhora Achiropita são entrelaçadas. A festa nasceu da necessidade dos colonos italianos que povoavam o Bixiga no início do século passado de levantar uma grana para construir a capela, com o objetivo de abrigar a imagem da padroeira, trazida da Itália pelos primeiros imigrantes que aqui chegaram. Ela então saiu em procissão pelo bairro com fitas coloridas nas mãos e os devotos pregavam dinheiro nestas fitas. O ritual é simbolizado na festa até hoje, que este ano completa 91 edições. As barracas de comida, óbvio, são as que fazem mais sucesso, principalmente a polenta, a fogaccia e os cannolis, todos eles feitos pela comunidade e com filas enormes para conseguir um prato. Mas vale cada segundo, pode acreditar.

Paróquia de Nossa Senhora Achiropita. Rua Treze de Maio, 478
Festa de Nossa Senhora Achiropita. Todos os finais de semana de Agosto
Foto destaque: @tavapassando

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *