A obra de Gaudí é apresentada em exposição de maquetes incríveis

Na segunda metade do século 19, Barcelona vivia um momento fervilhante, com uma nova burguesia enriquecida pela Revolução Industrial, a implementação do plano urbanístico de Cerdá, e o declínio da monarquia espanhola. Com esse cenário, o modernismo catalão encontrou as ferramentas e técnicas que traziam um ideário de progresso, e uma classe inteira desejosa de status, luxo e ostentação, disposta a bancar as maiores loucuras na reconfiguração da cidade. Foram décadas de boom para arquitetos, designers e artistas, que se estenderam até a Guerra Civil na década de 1930, quando a austeridade fascista tomou conta.

Réplicas de cadeiras da época
Réplicas de cadeiras da época

Foi no meio desse movimento todo que surgiu a figura mítica de Antoni Gaudí. Nenhum arquiteto na história conseguiu de forma tão marcante se tornar o símbolo e a cara de uma cidade como ele é para Barcelona. Seu trabalho é único por se desprender das influências e estilos vigentes na época para enveredar por uma arquitetura calcada nas técnicas construtivas e nos materiais, com uma linguagem ornamental exuberante e inusitada. Suas obras influenciaram movimentos no mundo inteiro, e até hoje despertam o fascínio de multidões que visitam a capital da Catalunha anualmente.
Detalhe do portão da Casa Vincens
Detalhe do portão da Casa Vincens

Inaugurou nesse sábado a segunda exposição dedicada ao trabalho de Gaudí no Instituto Tomie Ohtake. A mostra ‘Gaudí: Barcelona 1900’ traz maquetes, estudos, desenhos, pinturas, peças de mobiliário e muito mais, do próprio Gaudí e de outros artistas da época, para traçar uma linha de evolução do que foi o modernismo catalão até chegar na obra-prima do movimento, a inacabada Sagrada Família.
Maquete da Casa Millá (La Pedrera)
Maquete da Casa Millá (La Pedrera)

Ao longo da exposição, vê-se como as linhas rebuscadas adotadas por arquitetos e artesãos passaram de puro preciosismo egocêntrico para um estudo profundo de matemática e geometria para alcançar os melhores resultados estruturais imagináveis. Além das maquetes dos edifícios mais conhecidos de Gaudí (como a Casa Batlló, La Pedrera, e a própria Sagrada Família), esquemas e estudos móveis explicam qual era a linha de raciocínio científico do arquiteto para alcançar resultados impressionantes. Os sistemas complexos que desenvolvia são apresentados de forma pragmática e simples, para que até o mais leigo visitante consiga pelo menos entender porque Gaudí é até hoje considerado um grande gênio.

Gaudí: Barcelona 1900
Instituto Tomie Ohtake – Av. Brig. Faria Lima, 201
De 20 de novembro a 5 de fevereiro
Terça a domingo, das 11h às 20h
Ingressos: R$12 e R$6 (meia-entrada). Crianças até 10 anos, cadeirantes e deficientes físicos têm entrada gratuita todos os dias; às terças, entrada gratuita com retirada de senhas na bilheteria do ITO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *