Os imperdíveis do 24º Festival Mix Brasil

O mais importante evento voltado para cultura da diversidade do Brasil, o Mix Brasil completa 24 anos em 2016 e  vem com uma programação que vai além do cinema,  trazendo peças, shows e uma extensa lista de conferências organizadas pelo projeto [SSEX BBOX] – Sexualidade Fora da Caixa.

Para você não enlouquecer com as centenas de atividades que rolam entre 9 e 20 de novembro, principalmente no Centro Cultural São Paulo, a gente preparou um guiazão com os destaques do festival.

Programação musical

As Bahias e a Cozinha Mineira

Divulgação
Divulgação

A banda formada no curso de história da USP, composta por Raquel Virgínia, Assucena Assucena e Rafael Acerbi, foi escolhida como a revelação de 2016 pelo Prêmio Multishow de Música Brasileira. Com uma potência e força absurda, Raquel e Assucena magnetizam o público com as faixas do álbum de estreia “Mulher”, e tornam o espetáculo imperdível bebendo de fontes como Gal Costa e Belchior.

O show rola na terça-feira (15 de novembro) às 19h e, para assistir, basta retirar ingresso duas horas antes na bilheteria do CCSP.  A programação musical começa na sexta-feira (11 de novembro) e traz ainda ótimos nomes como Jaloo  e Daniel Peixoto.  Confira a programação completa aqui.

As peças

A Princesa e a Costureira 

Divulgação
Divulgação

A peça infantil, baseada no livro homônimo da psicóloga Janaina Leslão, traz a história de uma jovem princesa que se apaixona pela costureira responsável pela confecção de seu vestido de noiva. Uma pequena obra prima que retorna para o Centro Cultural São Paulo, agora dentro da programação do Mix Brasil, como uma das poucas opções para os pequenos. A entrada é fraca e para assistir o espetáculo basta retirar o ingresso duas horas antes. Terça-feira (15 de novembro) 15h.

Mais informações aqui.

O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu

Divulgação
Divulgação

Baseado no texto da autora norte-americana Jo Clifford, a peça traz a atriz Renata Carvalho como Jesus. Sob a perspectiva de que Jesus é e foi uma mulher transexual, o texto revisita parábolas bíblicas e levanta um debate profundo sobre a sociedade cristã e a LGBTfobia. Renata é uma entidade e, com uma força e um fôlego estonteantes, segura o monólogo de mais de uma hora.  A apresentação rola sexta-feira (18 de novembro), as 19h e a retirada de ingressos acontecem duas horas antes na bilheteria do CCSP.

Mais informações aqui.

Os filmes

Absolutely Fabulous – O Filme 

absolutely-fabulous-filme
Divulgação

É impossível você gostar de comédia e nunca ter passado o olho pela série inglesa “Absolutely Fabulous”.  No longa ultra esperado pelos fãs, as protagonistas Edina e Patsy seguem loucas das compras, álcool e baladas, até empurrarem a modelo Kate Moss no Rio Tâmisa durante uma festa. Completamente incorretas e musas da comunidade LGBT, não poderiam faltar na programação do festival.

Exibição: 13 de novembro às 20h, no Cine Itaú Augusta Três e 15 de novembro às 19h, no Cinesesc. Mais informações aqui.

Antes o Tempo Não Acabava

antes
Divulgação

Uma co-produção Brasil/Alemanha, o longa apresenta a história de jovem indígena em conflito com os líderes de sua comunidade na periferia de Manaus. Além de lidar com a confusão e viver entre as tradições da tribo e a vida industrial da capital amazonense, precisa lidar com sua sexualidade.

Exibição: 16 de novembro às 18h30, no Centro Cultural São Paulo e 14 de novembro às 19h, no CineSesc. Mais informações aqui.

Esteros

estereos
Divulgação

O cinema argentino se encontra com o brasileiro para contar a história Matias e Jerónimo, que cresceram juntos em Paso de Los Libres (Argentina) e, após uma relação na pré-adolescência, se separam. Ao se reencontrarem, já adultos, vão ter que lidar com o sentimento que volta com tudo.

Exibição:  Dias 11 e 16 de novembro às 18h, no Cine Itaú Augusta Três. Mais informações aqui.

Divinas Divas

divina
Divulgação

Produzido e dirigido pela atriz Leandra Leal, o documentário traz Rogéria, Jane Di Castro, Divina Valéria, Camille K, Eloína dos Leopardos, Fujika de Halliday, Marquesa e Brigitte de Búzios, as icônica travestis relembrando o sucesso e a montagem do espetáculo que celebra os 50 anos de carreira das artistas.

Exibição: 12 de novembro às 21h30, no CineSesc e 16 de novembro às 17h30, no Centro Cultural São Paulo. Mais informações aqui.

Terceira Pessoa

terceira
Divulgação

Nos últimos tempos, o cinema de Israel tem mergulhado no universo LGBT e é com muita expectativa que aguardamos o longa documental sobre intersexos (chamados com frequência de hermafroditas). ‘Terceira Pessoa’ conta a história de Suzan que, por decisão dos pais, foi submetida quando bebê a uma cirurgia para manter apenas o órgão feminino, e Ofer, que foi criada como uma pessoa sem gênero definido.

Exibição: 11 de novembro às 16h, no Cine Itaú Augusta Três e 16 de novembro às 20h30, no Centro Cultural São Paulo. Mais informações aqui.

Théo & Hugo

theo
Divulgação

O novo filme dos diretores franceses Olivier Ducastel e Jacques Martineau conta a história de uma casal que se apaixona em um clube de sexo e seguem para um encontro durante a noite parisiense. Só pelo trailer já dá pra se apaixonar pela trama de Théo e Hugo.

Exibição: 10 de novembro, às 21h30, no CineSesc e 12 de novembro, às 20h, no Cine Itaú Augusta Três. Saiba mais aqui.

Lampião da Esquina

trevisan
Divulgação

A comunidade LGBT brasileira é muito fraca em relação a olhar para sua própria história, por isso a importância do documentário ‘Lampião da Esquina’. Ele mostra como foi a criação e circulação do jornal homônimo criado em 1978,  em plena ditadura militar, que  retratava a sociedade sobre o ponto de vista dos homossexuais.

Exibição: 10 de novembro, às 19h, no CineSesc e 20 de novembro, às 17h30, no Centro Cultural São Paulo. Saiba mais aqui.

Viva

viva
Divulgação

O longa cubano (em parceria com a Irlanda) conta a história de um jovem maquiador que sonha em ser bailarino que, ao se montar, se depara com o pai homofóbico que reaparece depois de  15 anos. Destaque para as atrizes travestis e transexuais e a deliciosa trilha sonora.

Exibição: 15 de novembro, às 15h, no CineSesc e 17 de novembro, às 18h30, no Centro Cultural São Paulo. Mais informações aqui.

Waiting for B.

waiting-for-b
Divulgação

O documentário observacional acompanha os fãs da cantora Beyoncé que acamparam por 2 meses em frente ao estádio do Morumbi para ver a apresentação da diva pop. Com a convivência, temas como identidade negra, homofobia e feminismo acabaram surgindo.

Exibição: 12 de novembro, às 17h, no CineSesc e 18 de novembro, às 17h30, no Centro Cultural São Paulo. Mais informações aqui.

 Yes, We Fuck!

yes
Divulgação

Outro documentário imperdível do festival acompanha seis histórias sobre tesão, desejo e o direito das pessoas com diversidade funcional de desenvolverem sua sexualidade. Totalmente honesto e sem censura, é de arrepiar.

Exibição: 11 de novembro, às 20h30, no Centro Cultural São Paulo. Mais informações aqui.

As conferências

Precisamos falar sobre a cultura do estupro, por Wisdom Woman Brasil

terra
Reprodução/Facebook

Após a exibição do filme “Precisamos Falar do Assédio”, Camila Pickersgill, Drix Feitosa, Karine Caetano, Pâmela Herrera, Priscilla Bertucci, Tamara Queiroz & Terra de Grammont fazem uma roda para criar, em um ambiente seguro, um espaço de acolhimento do feminino ferido pelos abusos.

Dias 12 e 13 de novembro, às 16h30 e 14h, respectivamente,  no Centro Cultural São Paulo. Saiba mais aqui.

HIP HOP MULHER

luana
Reprodução/Facebook

Com facilitação de Drika Ferreira, Luana Hansen & Tiely Queen,  a mesa apresenta a organização e o poder das mulheres dentro de um movimento em que a participação dos homens é mais visível, o universo do Hip Hop.

Dia 13 de novembro, às 19h30, no Centro Cultural São Paulo. Saiba mais aqui.

Mães pela Diversidade

maes
Reprodução/Facebook

O grupo de mães e pais de LGBTs se reúne para falar do papel dos parentes na luta contra a LGBTfobia e direitos. Com Avelino Mendes Fortuna, Cida Baptista, Daisy Christine, Karla de Siqueira e Majú Giorgi.

Dia 14 de novembro, às 14h, no Centro Cultural São Paulo. Saiba mais aqui.

Qual é o espaço dos adolescentes no movimento LGBT?

maria
Reprodução/Facebook

A atividade, conduzida pelos maravilhosos e maravilhosas da Rede Nacional de Adolescentes LGBT, vai discutir como os jovens estão vivenciando seu gênero e sua sexualidade, e quais são suas demandas e desafios. A facilitação é da Maria Adrião.

Dia 17 de novembro, às 14h, no Centro Cultural São Paulo. Saiba mais aqui.

Religião e sexualidade

joao
Reprodução/Facebook

Um dos temas mais complexos e pouco discutidos no universo LGBT, a religião ganha espaço no evento com a facilitação de João Federici  e o convidado Vinícius Santos Rocha, que abordam como e por que as religiões determinam comportamentos afetivos-sexuais e como diferentes religiões tratam a pluralidade de gênero e sexualidade,

Dia 18 de novembro, às 19h, no Centro Cultural São Paulo. Veja mais aqui.

Dia de Lembrança Transgênero #TDOR

emma
Reprodução/Facebook

O Dia de Lembrança Transgênero (TDOR) acontece anualmente em 20 de novembro, e é uma homenagem à memória daquelxs cujas vidas foram tiradas em atos de violência transfóbica. No festival, a data vai contar com a presença da artista plástica inglesa Emma Frankland  e a atriz Renata Carvalho.

Dia 20 de novembro, às 12h, no Centro Cultural São Paulo. Confira mais aqui.

Sexualidade fora da caixa

mclin
Reprodução/Facebook

O dia 20 de novembro marca ainda o dia nacional da Consciência Negra e traz Mc Linn da Quebrada, Tatiana Nascimento,  Leo Castilho, Alan Costa, Danna Lisboa e Ivan Monteiro para evidenciar a resistência do movimento negro e encerrar a programação.

Dia 20 de novembro, às 18h30, no Centro Cultural São Paulo. Saiba mais aqui.

O Festival Mix Brasil rola entre os dias 9 e 20 de novembro. Confira a programação completa aqui.

Iran Giusti

Iran Giusti é formado em Relações Públicas pela FAAP, atuou como gestor de redes sociais e gerente de projetos em agências de RP e Social Mídia e como jornalista foi repórter do canal de conteúdo LGBT do Portal iG e do BuzzFeed Brasil. Atualmente se dedica a projetos de militância LGBT e produção de conteúdos em que acredita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *