10 passeios que contam a história de São Paulo através da arquitetura

A história de uma cidade pode ser contada e entendida através da sua arquitetura, e quando as construções que transmitem essa história podem ser vivenciadas, a experiência é completa. Em São Paulo não poderia ser diferente, e com a sua trajetória intensa de quem sofreu um desenvolvimento tão rápido, onde o que era novo passava em pouco tempo a não ser mais, cada capítulo histórico pode hoje ser conhecido através de alguns exemplares arquitetônicos mais relevantes.

Assim, essa lista foi pensada não só para quem gosta de arquitetura, mas também para tentar ilustrar as diversas fases vividas pela cidade, por meio de atrações e passeios que nos permitem compreender e interagir com o seu desenvolvimento ao longo dos tempos. Da época colonial ao atual processo de resgate do centro antigo como símbolo de São Paulo, esses edifícios ajudam a nos contar a sua história, ao mesmo tempo que nos fazem sentir parte dela.

Casa do Bandeirante Foto: Divulgação
Casa do Bandeirante – Foto: Divulgação

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Casa do Bandeirante (integra o Museu da Cidade de São Paulo)
Testemunho de um tempo onde a população da cidade girava em torno de apenas 10.000 habitantes – entre os séculos XVII e XVIII – a Casa do Bandeirante é um exemplar de habitação rural da época, já que a região do Butantã estava muito distante do então núcleo urbano de São Paulo. Por estar localizada em uma praça, proporciona uma atmosfera que nos transporta para esse período histórico, reforçada pelo acervo de objetos antigos. Site 

Casa do Bandeirante
P
raça Monteiro Lobato, s/n.
11 3031.0920.
T
erça a domingo, das 9h às 17h – Entrada gratuita

Cinemateca Brasileira Foto: Divulgação
Cinemateca Brasileira – Foto: Divulgação

Cinemateca
Antigo Matadouro Municipal, a construção é da década de 1880 e exemplifica bem o estilo arquitetônico industrial daquele tempo. Tombada pelos órgãos de preservação da cidade e do estado, virou a sede da Cinemateca Brasileira em 1992 e teve o seu restauro concluído mais de dez anos depois. Além das salas de projeção e da biblioteca, oferece espaços expositivos e jardins externos amplos e bem agradáveis, onde promove eventos como sessões de cinema ao ar livre e apresentações artísticas. 

Destaques da programação:

  • In-Edit Brasil: 8o Festival Internacional do Documentário Musical (15 a 18/9)
  • 100 Paulo Emílio: Para celebrar o centenário do escritor e crítico de cinema Paulo Emílio Sales Gomes, o evento apresenta ao público filmes, debates, cursos e seminários, visando explorar distintas faces de seu pensamento que ainda continuam a surpreender. (até 2/10)

Cinemateca
Largo Senador Raul Cardoso, 207.

11 3512.6111
Diariamente das 9h às 18h – Entrada gratuita

Estação da Luz Foto: Divulgação
Estação da Luz – Foto: Divulgação

Estação da Luz
Marcada pelo triste episódio do incêndio que destruiu o Museu da Língua Portuguesa, um dos seus principais atrativos, a Estação da Luz continua linda e digna de integrar essa lista como um ícone da arquitetura ferroviária da virada do século XIX / XX. Reflexo da pujança econômica trazida pelo café e um dos símbolos de São Paulo, todo o material da sua construção foi importado da Inglaterra, e após a reconstrução de 1951, cinco anos depois que um primeiro grande incêndio a atingiu, teve o seu segundo restauro finalizado em 2006. Ainda hoje, o intenso movimento dos passageiros atesta a importância que tem para a cidade.

Estação da Luz
Praça da Luz, 1.  – Luz
0800 550121
Diariamente, das 4h às 24h – Entrada gratuita

Casa Modernista Foto: Fabio Cintra
Casa Modernista – Foto: Fabio Cintra

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Casa Modernista (integra o Museu da Cidade de São Paulo)
A sua história é curiosa. O projeto da casa foi apresentado para aprovação na prefeitura com as fachadas adornadas, uma exigência da época. Ao finalizar a construção, em 1928, o arquiteto Gregori Warchavchik alegou falta de dinheiro para a ornamentação externa, e assim pôde seguir com a sua ideia inicial de uma construção racional e limpa, o que acabou a consagrando como pioneira da arquitetura moderna no Brasil. O parque onde está localizada é um belo complemento à visita.

Casa Modernista
Rua Santa Cruz, 325 – Vila Mariana
11 5083.3232
Terça a domingo, das 9h às 17h – Entrada gratuita

Museu da Arte Brasileira Foto: Divulgação
Museu da Arte Brasileira – Foto: Divulgação

Museu da Casa Brasileira
Nem tanto a arquitetura do museu em si – antiga residência do prefeito Fábio Prado (1934-1938) em estilo neoclássico, finalizada em 1945 – o que vale a visita são as exposições e os eventos promovidos pelo MCB, único museu de arquitetura e design do país, que também visa ser um centro de referência dessas áreas. Nos fundos da casa, o jardim é praticamente um oásis na movimentada avenida Faria Lima, passeio irresistível.

Destaques da programação:

  • 10a Primavera dos Museus: Museus de todo o país promovem eventos em torno do tema “Museus, Memórias e Economia da Cultura”. A programação do MCB inclui atividades educativas com entrada gratuita. (até 25/9)
  • Desenho sua casa: Em uma proposta de interação com os transeuntes, na calçada em frente ao museu, a artista Helena Kuasne desenhará a casa dos participantes a partir de uma descrição afetiva ou uma fotografia. A ideia é que o público contribua com o principal tema do Museu: a casa brasileira. (15, 22 e 29 de setembro às 10h30)
  • Design Mirim: Exposição inédita que apresenta cerca de 100 itens originais do equipamento doméstico destinados às crianças da casa moderna brasileira, notadamente entre o período de 1920 até 1970. (até 16/10)
  • Hugo França: Escalas em Contraste: Na mostra, miniaturas dividirão espaço com peças monumentais, algumas idênticas à de tamanho reduzido, instaladas com o propósito de criar contrastes de dimensões e impactar quem passar pelos corredores e salas do museu. Para completar, haverá uma exibição de vídeos e fotos de processos de produção feitos ao longo da carreira do designer. (até 16/10)
  • Projeto Balanço MCB+BOOMSPDESIGN: O objetivo do Projeto é despertar as memórias lúdicas e afetivas da infância, resgatando as brincadeiras em parques, praças e outros ambientes abertos. Apesar de fazer parte do nosso imaginário, o balanço é um mobiliário um tanto esquecido por parte de fabricantes e profissionais. Este ciclo de instalações privilegia a produção do design nacional e a vivência com a natureza. (até 16/10)

Museu da Casa Brasileira
Av. Brig. Faria Lima, 2705 – Jardim América
11 3032.3727 / 3026.3900
Terça a domingo, das 10h às 18h – Entrada R$ 7,00 (meia R$ 3,50)  – Gratuito aos sábados, domingos e feriados, para maiores de 60 anos e crianças até 10 anos). 

Conjunto Nacional Foto: Divulgação
Conjunto Nacional – Foto: Divulgação

Conjunto Nacional
Fruto da ambição de um empresário em fazer da Paulista a principal avenida de São Paulo, o Conjunto Nacional foi completado em 1962 como a primeira grande estrutura da cidade que reunia comércio, habitação, serviços e entretenimento em um só lugar. Inaugurou também uma nova era de ocupação da avenida por grandes edifícios comerciais – que acabaram substituindo os antigos casarões da elite cafeeira – e se tornou uma simbólica referência na região, além de um tradicional ponto de encontro.

Conjunto Nacional
Av. Paulista, 2073 – Cerqueira César
11 3262.5172
Segunda a sexta, das 7h às 22h; Sábados, domingos e feriados, das 10h às 22h –  Entrada Gratuita

Foto : João Musselin
CCSP – Foto : João Musselin

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Centro Cultural São Paulo
O terreno, resultado das desapropriações para a construção do Metrô na década de 1970, foi doado para a prefeitura, que ali resolveu construir um grande centro cultural nos moldes do Georges Pompidou, em Paris. O seu projeto foi concebido de uma forma que diferentes expressões culturais e artísticas pudessem conviver e se complementar, e a sua arquitetura transparente e de amplos espaços integrados acaba refletindo essa intenção. Aberto em 1982, é um polo dinâmico com a cara de São Paulo.

Destaques da programação:

  • Circuito Spcine: Desde julho, as salas Lima Barreto e Paulo Emilio Salles Gomes do CCSP estão sendo administradas pela Spcine, empresa pública para o desenvolvimento do audiovisual paulista. Com isso, os espaços passam a integrar uma rede pública de cinema composta de outras 18 salas com uma programação nacional e internacional. O valor dos ingressos é de R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia).
  • CCSP Semanas de Dança 2016: Ao longo de seus mais de 20 anos de existência, é o evento de maior significância na área de dança do Centro Cultural São Paulo. Além da importância para a instituição, este evento é uma referência no cenário da cidade e que aspira ao reconhecimento internacional. (até 2/10)
  • I e II Mostras do Programa de Exposições 2016: Chega a seu 26º ano e apresenta individuais simultâneas de artistas selecionados. Em paralelo, dois outros artistas convidados expõem projetos recentes a convite da Curadoria de Artes Visuais do CCSP. (até 30/10)

Centro Cultural São Paulo
Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso

11 3397.4002
Segunda a sexta, das 10h às 20h; Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h – Entrada gratuita

Sesc Pompeia Foto: Divulgação
Sesc Pompeia – Foto: Divulgação

Sesc Pompeia
Instalada em uma antiga fábrica de tambores da década de 1930, essa unidade do Sesc teve a sua estrutura finalizada em 1986, quando foram concluídas as edificações anexas projetadas por Lina Bo Bardi, autora também da sede do MASP, na Avenida Paulista. Além do ambiente único criado pela harmonia entre os dois estilos arquitetônicos, a ótima programação cultural faz desse um passeio imperdível na cidade. 

Destaques da programação:

  • Pepeu Gomes: O músico baiano canta e toca seus maiores sucessos. De R$ 9 a R$ 30. (16 e 17/9)
  • Criolo: Show da nova turnê “Ainda há Tempo”. De R$ 18 a R$ 60. (29 e 30/9)
  • Globo da Morte de Tudo: Dois globos da morte ocupam uma sala tomada por itens que fundem memória e colecionismo consumista. A instalação, um inventário simbólico de uma cultura prestes a desabar, apresenta um ambiente visitável para os públicos, revestido de prateleiras de aço que sustentam cerca de 1.500 peças selecionadas a partir das categorias cotidiano, morte, luxo e ancestralidade. (até 6/11)
  • Encontro no Presente (com Cia. Arthur Arnaldo): Elementos da cena teatral serão conduzidos por meio de jogos e improvisação com temas relativos ao encontro entre pessoas de diferentes idades. (até 26/11)
  • Tecelagem Manual Brasileira: A exposição mostrará peças de tecelagem artesanal que representam parte da diversidade da tecelagem manual praticada hoje em diferentes pontos do Brasil, como Rio Grande do Sul, Piauí, Minas Gerais, dentre outros. (até 18/12)

Sesc Pompeia
Rua Clélia, 93 – Pompeia

11 3871.7700
Terça a sábado, das 9h às 22h; Domingos e feriados, das 9h às 20h – Entrada gratuita

Memorial da América Latina Foto: Divulgação
Memorial da América Latina – Foto: Divulgação

Memorial da América Latina
O memorial nasceu com a proposta de ser um ponto de intercâmbio cultural, político, social e econômico com os nossos vizinhos latino-americanos. Obra com  o estilo inconfundível do arquiteto brasileiro mais conhecido internacionalmente, Oscar Niemeyer, foi inaugurado em 1989 e logo se tornou palco para atividades artísticas, científicas e educacionais, incentivando a consolidação de uma identidade regional. 

Destaques da programação:

  • Música na Biblioteca: Programa de música clássica com perfil popular no auditório da Biblioteca Latino-americana. A conceituada maestrina Mônica Giardini realiza a curadoria do projeto. (13, 20 e 27/9)
  • Atletas de Corpo e Alma: Em cartaz no Rio de Janeiro durante as Olimpíadas de 2016, a mostra fotográfica expõe momentos únicos de atletas e paratletas, de diferentes modalidades, que vão além das rotinas de treinos e competições. (até 30/9)
  • Encontro da Imagem com a Literatura Latino-Americana: Cada um dos 43 artistas se inspirou em uma obra literária para produzir em diferentes técnicas: aquarela; óleo; escultura; desenho; instalação; gravura ou fotografia. São trechos de textos de escritores conhecidos pelo público, como Pablo Neruda, Clarice Lispector e Guimarães Rosa, mas também dá espaço a outros mais contemporâneos. (até 1/10)
  • A Arte na Pele: O objetivo da mostra é difundir a origem e a evolução da tatuagem, os usos e costumes dessa arte como expressão da linguagem universal que melhor expressa o sentimento de liberdade entre os homens. O cenário é composto por peças, quadros e vídeos com imagens do São Paulo Tattoo Festival, evento que deu origem, em 2004, ao Museu Tattoo Brasil, organizador da exposição. (até 16/10)

Memorial da América Latina
Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda

11 3823.4600
Terça a domingo, das 9h às 18h (Biblioteca: Segunda a sexta, das 9h às 18h; Sábados, das 9h às 15h)
Entrada gratuita.

Praça das Artes Foto: Nelson Kon
Praça das Artes – Foto: Nelson Kon

Praça das Artes
Ganhador de diversos prêmios de arquitetura, esse complexo cultural teve a sua primeira etapa inaugurada em 2012, já o tornando um dos protagonistas da revitalização do centro da cidade por se integrar com o espaço público através da sua impressionante estrutura e das atividades que promove. Funciona como uma extensão do vizinho Theatro Municipal, sediando instituições como a Escola de Dança e a Escola Municipal de Música, tanto em suas novas instalações quanto no antigo edifício tombado do Conservatório Dramático e Musical de São Paulo, de 1886, que integra o conjunto.

Destaques da programação:

  • Oficina Colaborativa com Modelo Vivo: Projeto que nasceu no Instituto de Artes da UNESP, onde não há modelos contratados: os próprios artistas se revezam posando para os colegas. Toda e qualquer pessoa poderá participar e não é necessária experiência prévia em desenho ou como modelo, a ideia é exatamente experimentar novas possibilidades. (24/9)
  • Escola na Praça: Apresentações abertas e gratuitas dos alunos da Escola Municipal de Música. As atividades pretendem mostrar ao público o resultado dos processos artísticos e pedagógicos da instituição. (27 e 30/9, e 1/10)
  • Coral Paulistano Mário de Andrade: Ingressos: R$ 25; meia-entrada para aposentados, maiores de 60 anos, professores da rede pública e estudantes. (24/9, 8/10 e 12/11)
  • Ensaios abertos da Orquestra Experimental de Repertório (OER) e do Quarteto da Cidade: Oportunidade para o público ver os músicos sob uma outra perspectiva e acompanhar o processo artístico mais de perto em um ambiente menos formal do que as apresentações. (OER: 25/11; Quarteto da Cidade: até 7/12)
  • Terreyro Coreográfico – Coisa Coreográfica: A Coisa Coreográfica surgiu em 2012 e dá nome a um grupo que se dedica a estudar e experimentar o pensamento coreográfico e suas implicações. Sem se restringir ao campo da dança o grupo busca trabalhar com outros campos e saberes, tendo a Coisa como interface de relação. (até 14/12)

Praça das Artes
Av. São João, 281 – Centro

11 3053.2092
Visitas guiadas: Terça a sexta às 11h, 15h e 17h; Sábados e feriados às 11h, 12h, 14h e 15h (inscrições no local a partir das 10h para todos os horários do dia); Visitas agendadas para grupos: Terça a quinta às 10h e 13h30, sexta às 10h e sábado às 13h (agendamento pelo telefone ou email: tmeducativo@theatromunicipal.org.br); Visitas em inglês: Terça a sexta às 11h e 17h, e sábado às 12h. Entrada gratuita

__
Texto Flavio F. Moreira. Edição: Patrícia Ribeiro – Passeios Baratos em SP
_
_

Foto destaque: Conjunto Nacional – Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *