Festa do Imigrante: as nações se encontram em São Paulo

Começou no último fim de semana um dos eventos mais cheios de diversidade de culturas da cidade, a Festa do Imigrante. Em sua vigésima segunda edição, o evento que traz o tema “Descobrindo tradições em São Paulo”, e mais uma vez vem resgatar a história dos mais de 2 milhões de forasteiros que passaram pela antiga Hospedaria dos Imigrantes do Brás, hoje Museu da Imigração, desde final do século XIX.

Foto: Divulgação - Museu da Imigração
Foto: Divulgação – Museu da Imigração

A festa que começou no último domingo, dia 05 de junho, reune os mais expressivos movimentos culturais das diversas nações participantes, como gastronomia, dança, música e arte.

Países como Alemanha, Armênia, Bulgária, Congo, Egito, Grécia, Ilha da Madeira, Índia, Iraque, Japão, Lituânia, Moçambique, Peru, Portugal, países da América Latina e Oriente Médio, Rússia e Ucrânia vão buscar em suas raízes o melhor de sua cultura para oferecer de tudo: seja na gastronomia, com diversos pratos tradicionais; o artesanato, com feirinhas de produtos típicos; ou em expressões culturais, com dança, música e teatro.

Foto: Divulgação - Museu da Imigração
Foto: Divulgação – Museu da Imigração

A programação do evento é muito democrática. Tem atividade para quem procura só um passeio com a família, para quem quiser comer algo diferente e até para quem quiser aprender mais sobre culturas estrangeiras. Afinal, o evento conta com oficinas em sua programação.

Foto: Divulgação - Museu da Imigração
Foto: Divulgação – Museu da Imigração

Além disso, tem uma programação toda especial para a criançada. Com contação de histórias, teatro e oficinas. Dá para trazer a família toda. Vale muito a vista!

Aqui tem a programação completinha.

Festa do Imigrante
Museu da Imigração – Rua Visconde de Parnaíba, 1316 – Mooca
Sáb. e Dom, 11 e 12/06, a partir das 10h às 17h
R$6

_______________________________________________________
Foto destaque: Divulgação – Museu da Imigração

Jo Machado

O Jo é um amante curioso, fiel e sem firulas da cidade. Adora vê-la fluir. Ver suas ruas cheias de vida e histórias. Fica feliz com os causos da cidade de outrora e gostaria de ter vivido por aqui também em outras épocas. Ama a diversidade da cidade, com ênfase na vasta gastronomia presente por aqui. Ele lambe os beiços só de pensar, acredite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *